Biodiversidade | Fauna | Fauna exótica e invasora

Gambúsia
Foto: Vasco Flores Cruz
< >

NOME CIENTÍFICO Gambusia holbrooki

CURIOSIDADES

Em Portugal foi introduzida no século XIX na bacia do Sado com o intuito de predar as larvas de mosquitos (na fase aquática) vectores da malária. No entanto, rapidamente tornou-se invasora e uma séria ameaça para espécies nativas de anfíbios, peixes e invertebrados.

Em Espanha é considerada uma das 20 espécies exóticas invasoras mais perigosas.

Outros nomes comums: peixe-mosquito, mosquiteiro, gambusino.

Distribuição

Originária da América Central. Actualmente encontra-se em vários países europeus, Ásia, África e Austrália.

Em Portugal, a gambúsia foi identificada nas bacias hidrográfica s do Douro, Vouga, Mondego, Tejo, Sado e Guadiana, mas também em diversas áreas protegidas como no Parque Natural de Sintra Cascais, Parque Natural do Vale do Guadiana, na Reserva Natural do Paul de Arzila, no Paul do Taipal, no Paul de Madriz, na Reserva Natural do Paul do Boquilobo, no Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e na Reserva Natural do Estuário do Tejo.

Estatuto de conservação

Espécie classificada de acordo com o Decreto-Lei 565/99 de 21 de Dezembro como:

- Espécie invasora: Anexo I – Espécie introduzida em Portugal Continental.

- Espécie de risco ecológico: Anexo III – impacte negativo potencial, susceptível de causar ma modificação significativa nos ecossistemas de um dado território

CARACTERÍSTICAS

Descrição

Família: Poeciliidae

Peixe de pequenas dimensões,  apresenta cor cinzenta e pequenos pontos no corpo e barbatanas, possui uma mancha escura que atravessa o olho na vertical e barbatanas incolores ou amareladas.

As fêmeas têm um ventre proeminente e são maiores que os machos, enquanto estes apresentam os raios da barbatana anal mais alongados, transformando esta barbatana num órgão copulador.

Dimensões

Os machos atingem 30 mm de comprimento e as fêmeas 60 mm.

Habitat

A gambúsia habita habitats de água doce calmas, como cursos de água lentos, charcos, lagos, lagoas, pauis, estuários e albufeiras. Tolera águas pouco oxigenadas e temperaturas elevadas.

Ciclo de Vida

Uma das razões do seu sucesso nos habitats invadidos relaciona-se com a sua rápida reprodução. A maturidade sexual é atingida entre as 4-6 semanas e reproduz-se entre Abril e Outubro.

Alimentação

A gambúsia tem um apetite voraz por ovos e larvas de anfíbios, peixes e invertebrados. Pode alimentar-se de indivíduos da sua espécie.

Impactes nos habitats invadidos

A redução dos predadores naturais das larvas de mosquitos (anfíbios e invertebrados) permite que estes completem o seu ciclo de vida, contribuindo para o aumento das populações. O declínio das populações de anfíbios e de invertebrados é responsável pela diminuição da biodiversidade presente no habitat, bem como outros desequilíbrios ecológicos e tróficos.

O controlo é difícil devido às suas dimensões reduzidas e elevada taxa de reprodução.