COMO PARTICIPAR | Construção

IMPERMEABILIZAÇÃO
PDF Contrução

A criação de charcos, não implica obrigatoriamente a aplicação de telas de impermeabilização. Se o objectivo é criar charcos de água limpa para a vida selvagem, a forma mais sustentável e económica de o fazer é utilizar fontes naturais de água limpa sem a necessidade de utilizar materiais de impermeabilização. A dependência da hidrologia natural implicará uma flutuação natural dos níveis de água e, portanto, alguns charcos poderão secar nos meses secos, mas isto não é um problema para a vida selvagem. Charcos temporários, sazonais ou que sofrem grandes flutuações do nível da água são importantes para um grande número de espécies e são um habitat muitas vezes negligenciado.

Na prática, porém, a colocação de revestimentos impermeáveis permite a criação de charcos em locais onde a hidrologia ou a geologia não permitem a sua formação natural, ou quando há uma boa razão para manter o charco isolado da água subterrânea, por exemplo, onde o lençol freático se encontra poluído. Há, contudo, desvantagens significativas na utilização de impermeabilização artificial: os charcos tornam-se mais caros de criar, mais susceptíveis a danos e súbita perda de água e tornam o projecto menos flexível, se desejar modificar o charco posteriormente.

Charcos em terreno argiloso – na construção de charcos sobre terreno argiloso a impermeabilização consistirá apenas na compactação do fundo, uma vez que a argila compactada é um excelente impermeabilizante, sendo também mais ecológico (local, natural e reciclável) e económico.

Charcos em terreno permeável com um nível freático próximo da superfície – no caso de charcos escavados em locais onde o nível freático é elevado, não é necessária a sua impermeabilização pois é precisamente a permeabilidade do fundo que vai garantir a rapidez de enchimento do charco.

Charcos em terreno permeável e nível freático baixo
– Nestes casos, para a criação de um charco que retenha água tempo suficiente para permitir a fixação de organismos aquáticos, é necessária a colocação de materiais impermeabilizantes. Solos demasiado permeáveis não são ideais para a criação de charcos, e podem exigir muito esforço e recursos para garantir que a água é mantida, mesmo com um revestimento impermeável pois toda a água da chuva pode infiltrar-se directamente, não chegando a haver escorrência superficial das águas. Neste caso, um charco impermeabilizado apenas recolhe a água que chove directamente sobre ele. Uma possível solução é colocar revestimento impermeável sob o solo numa maior área em torno do charco, de forma que a água da chuva o abasteça (ou pode ser mais apropriado escolher outro local para construir o charco).


Ilustração 19 – Em solos muito permeáveis, a bacia hidrográfica de um charco corresponde apenas à área da tela de impermeabilização. Para que o charco retenha o volume de água pretendido, é possível que se tenha que colocar tela de impermeabilização sob o solo numa extensão maior em torno do charco.


Colocação de geomembranas, telas ou mantas impermeáveis: Se é fundamental a impermeabilização da charca para que as perdas se reduzam às geradas pela evaporação será necessário colocar algum revestimento impermeável. Para isso, o primeiro passo é retirar as pedras, paus e demais materiais que possam danificar a lâmina. É recomendável revestir a escavação com areia de rio e colocar sobre esta uma manta ou geotextil para dar uniformidade ao terreno e evitar danos na membrana que se colocará de seguida. A membrana deverá ser maior que o charco, uma vez que deve cobrir tanto o fundo como as paredes e as margens. Se impermeabiliza com uma tela lisa, a terra que a cobre poderá deslizar para a parte mais funda, impedindo o crescimento de plantas na margem e alguns animais poderão ter dificuldade em sair, morrendo afogados. Para evitar que isto aconteça, poderá ser empregue uma tela com a superfície rugosa ou, alternativamente, uma camada de geotextil ou de fibra de coco sobre a tela lisa, para evitar o deslizamento da terra.

 


Ilustração 20 – Escavação e impermeabilização de um charco sobre terreno permeável. 1- Escave uma área e uma profundidade superiores ao tamanho pretendido para o charco. Compacte o fundo e retire pedras, madeiras, e outros objectos que tornem o fundo irregular e possam danificar a tela de impermeabilização. 2- Coloque uma protecção (manta, geotextil ou jornais) sob a tela de impermeabilização, e, sobre a tela, geotêxtil para proteger a tela ou rede plástica para ajudar a reter o solo; 3- Cubra a tela de areia, gravilha ou terra mineral e use pedras para ajudar a reter o solo e para criar irregularidades, abrigos e ilhas. 4- deixe o charco ser colonizado naturalmente, acompanhando este processo e eliminando eventuais invasões de espécies exóticas; registe os níveis de água no Verão, no Inverno e em épocas de cheia.


Revestimento – Para proteger a tela ou plástico de impermeabilização, reduzir seu o efeito visual e sobretudo para facilitar a colonização de plantas aquáticas e a fixação de solo, recomenda-se colocar uma camada de geotêxtil sobre toda a estrutura, fundo e paredes. O charco pode ainda ser revestido com pedras, gravilha, areia, ou solo mineral, para lhe dar um aspecto mais natural e facilitar a colonização. Nos casos em que se pretende criar um charco num local húmido ou que seja costume encharcar, a camada mais superficial de terra do local a escavar deve ser guardada para fazer o revestimento do fundo do charco no final da escavação, uma vez que pode conter sementes de plantas aquáticas, ovos de invertebrados, etc., que se desenvolverão quando o charco encher. Nos casos em que o local a escavar não tenha já por hábito encharcar, não há vantagens em revestir o fundo com a camada superficial do solo, podendo até reduzir a qualidade da água, devido ao excesso de nutrientes e à possível presença de alguns poluentes.

Enchimento de água – Se o charco foi planeado próximo de uma fonte de água ou num local onde se prevê acumulação natural da água da chuva, basta esperar que o charco se encha naturalmente. Caso o charco seja construído próximo de edifícios, poderão usar-se caleiras para recolher dos telhados a água da chuva e conduzi-la para o charco. Caso a única opção disponível seja o enchimento com água da rede pública de abastecimento de água, deixe-a repousar 24 num recipiente aberto para que perca o cloro antes de a colocar no charco.

<<< Página anterior | Página seguinte >>>