Biodiversidade | Fauna | Macroinvertebrados

Imperador-azul
Macho. Foto: Wikimedia Commons
< >

NOME CIENTÍFICO Anax imperator

CURIOSIDADES

É a maior libélula da fauna portuguesa!

São sensíveis à poluição aquática, a presença de libélulas pode ser usada como bioindicador.

A fase aquática do imperador-azul pode durar 2 anos.

Distribuição

O imperador-azul distribui-se desde o Sul da Europa até à Suécia, Médio Oriente, Ásia Central e em grande parte do Norte e Sul de África incluindo o Madagáscar.

Espécie nativa de Portugal.

Estatuto de conservação

Global (IUCN): LC (Pouco preocupante).

CARACTERÍSTICAS

Descrição

Classe: Insecta | Ordem: Odonata | Família: Aeshnidae

Os machos têm o abdómen azul vivo com uma risca dorsal negra, o tórax e a cabeça são verdes e possuem olhos azuis ou esverdeados proeminentes. As fêmeas apresentam o tórax e o abdómen esverdeados e coloração acastanhada nos últimos segmentos do abdómen.

Ambos os sexos têm patas castanhas, exibindo uma cor amarelada na base. As asas possuem veios negros e com e a idade ganham uma tonalidade amarelada acastanhada.

As larvas aquáticas (ninfas) são acastanhadas, possuem a cabeça arredondada e olhos grandes.

Dimensões

Os adultos atingem 78 mm de comprimento e 106 mm de envergadura.

As larvas medem entre 45 a 66 mm de comprimento.

Habitat

Habita charcos, lagos, lagoas, tanques, canais de irrigação ou cursos de água lentos com vegetação aquática abundante.

Comportamento

A fase aérea pode ser observada entre Junho e Agosto, ocasionalmente até finais de Setembro. O voo é rápido e ágil.

Os machos adultos, sendo muito territoriais, patrulham, defendem e afugentam vigorosamente todos competidores que invadam o seu território.

Ciclo de Vida

Durante a fase aquática a ninfa passa por uma série de mudas, durante a qual liberta o exoesqueleto quitinoso (exúvia) antigo e emerge num novo, de maiores dimensões, permitindo o crescimento da ninfa. Para passar ao estado adulto, a ninfa emerge da água, fixa-se à vegetação e surge da última exúvia larvar como um adulto totalmente desenvolvido e adaptado à vida aérea.

O acasalamento entre o macho e fêmea ocorre durante o voo. Os ovos são depositados pelas fêmeas em vegetação flutuante ou em detritos vegetais e eclodem ao fim de 3 a 4 semanas.

Alimentação

Durante o estado larvar (fase aquática), possui uma máscara bucal muito potente tornando-o num predador voraz de diversos animais aquáticos como larvas e adultos de anfíbios, pequenos peixes, crustáceos, moluscos, larvas de mosquitos e outros invertebrados. Enquanto ninfa, constitui alimento para outras larvas de libélulas, libelinhas, escaravelhos aquáticos, escorpião-de-água, peixes, etc.

Na fase aérea continua a ser um predador voraz alimentando-se de outras libélulas e libelinhas, borboletas e outros insectos voadores.