Biodiversidade | Fauna | Anfíbios

Tritão-de-ventre-laranja
Foto: A.S.
< >

NOME CIENTÍFICO Lissotriton boscai

CURIOSIDADES

Outros nomes comuns: Tritão-ibérico

Até há poucos anos, esta espécie chamava-se Triturus boscai

Para atraír as fêmeas, os machos de tritão-de-ventre-laranja fazem uma complexa dança nupcial que pode ser comparada ao Flamenco.

Na falta de vegetação, os tritões podem colocar os ovos em objectos como sacos de plástico.

Distribuição

Metade Oeste da Península Ibérica, Em Portugal ocorre em todo o continente.

Estatuto de conservação

Portugal: LC - Pouco Preocupante

Espanha:LC - Pouco Preocupante

Mundo:LC - Pouco Preocupante

Está protegida pela Convenção de Berna (Anexo III).

CARACTERÍSTICAS

Descrição

Este é um tritão pequeno, com cabeça arredondada, olhos pequenos, em posição lateral. Corpo de secção redonda ou quadrangular. Cauda muito achatada lateralmente, com crista reduzida ou ausente. Pele lisa na fase aquática, mas algo rugosa na fase terrestre. Coloração dorsal, castanha, verde ou amarelada, com pontos e manchas negras. Por vezes com uma linha vertebral clara. Ventre cor de laranja, com manchas redondas escuras.

Dimensões

Tritão de pequeno tamanho, normalmente com 65 a 90mm, podendo algumas fêmeas ultrapassar os 95 mm.

Comportamento

Ao sentir-se ameaçado, pode virar-se ao contrário, arqueando as costas e exibindo o ventre laranja, de forma a assustar os predadores e os alertar da sua toxicidade quando ingerido.

Alimentação

Tanto os adultos na fase aquática como as larvas se alimentam de pequenos invertebrados aquáticos como larvas de mosquito, pulgas-de-água, etc. Durante a fase terrestre os adultos alimentam-se principalmente de invertebrados de consistência mole, como minhocas e lesmas.

Ciclo de Vida

Embora, em algumas regiões, possa passar o ano todo na água, geralmente tem uma fase aquática, na época de reprodução, e uma fase terrestre. A época de reprodução estende-se de Novembro a Junho. O acasalamento ocorre na água e é precedido por um complexo comportamento de corte. A fecundação é interna e a fêmea deposita entre 100 e 250 ovos ao longo de vários dias. Os ovos são colocados individualmente nas plantas aquáticas ou folhas.