Biodiversidade | Fauna | Anfíbios

Sapo-corredor
Adulto. Foto: Eduardo J. Castro
< >

NOME CIENTÍFICO Bufo calamita

CURIOSIDADES

- O sapo-corredor deve o seu nome ao facto de se deslocar correndo e não saltando.

- É o anfíbio português com metamorfose mais rápida podendo completar o desenvolvimento larvar em apenas 20 dias, o que lhe permite reproduzir-se em charcos temporários, onde há menos predadores.

- Como adaptação à reprodução em charcos temporários, o sapo corredor tem um comportamento reprodutivo explosivo, em que machos e fêmeas se concentram junto aos charcos para acasalar, apenas uma ou duas noites, logo após grandes chuvadas, contrariamente a outras espécies que passam toda a época reprodutiva junto aos charcos e a coaxar .

- Recentemente houve propostas de alteração à classificação desta espécie, adoptando o nome científico Epidalea calamita.

-Os sapos-corredores voltam ao mesmo charco ano após ano para se reproduzirem.

Distribuição

Europa Ocidental e do Norte

Estatuto de conservação

Portugal: LC - Pouco Preocupante

Espanha:LC - Pouco Preocupante

Mundo:LC - Pouco Preocupante

Está estritamente protegida pela Convenção de Berna.

CARACTERÍSTICAS

Descrição

Este sapo, tal como o sapo-comum tem um aspecto robusto, pele rugosa, cabeça arredondada, mais larga que comprida e olhos relativamente grandes, proeminentes, com pupila elíptica horizontal. No entanto o sapo corredor distingue-se facilmente do sapo-comum por ser mais pequeno, ter olhos com íris amarela esverdeada e possuir frequentemente uma linha vertebral amarelada ou esbranquiçada.

A pele rugosa do sapo-corredor possui numerosas verrugas mais ou menos aplanadas acastanhadas, alaranjadas ou avermelhadas. O padrão de coloração dorsal é bastante variável, com manchas irregulares esverdeadas  sobre um fundo creme ou esbranquiçado. Zona ventral clara (esbranquiçada ou acinzentada) com manchas escuras irregulares.

Dimensões

Geralmente entre 6 e 7 centímetros, podendo algumas fêmeas superar os 9 cm (cabeça-corpo).

Habitat

Este sapo é característico de zonas arenosas e zonas de charneca, embora possa aparecer também em outros habitats como zonas de alta montanha, especialmente em locais abertos, com solos pouco compactados. Durante a reprodução, utiliza preferencialmente pequenos charcos temporários de escassa profundidade.

Comportamento

O sapo-comum tem hábitos predominantemente nocturnos. tem a particularidade de se deslocar por pequenas corridas, ao contrário da locomoção por saltos observada na maioria dos anuros.

Como mecanismo de defesa, incham o e erguem-se sobre as patas, tal como o sapo-comum.

Ciclo de Vida

Durante a reprodução, o macho abraça firmemente a fêmea sob as axilas (amplexo axilar) e fertiliza os óvulos que ela liberta agrupados num longo e fino cordão gelatinoso. A eclosão ocorre passados 5-15 dias. Os girinos têm entre 1 e 3 cm e terminam a metamorfose entre 20 dias a dois meses, com cerca de 1cm. a maturidade sexual é atingida aos 2 anos e a sua longevidade na natureza não supera os 5 anos, embora em cativeiro possam viver cerca de 20 anos.

Alimentação

Escaravelhos, moscas, minhocas e larvas de insectos.

As larvas são essencialmente herbívoras e detritívoras.