Biodiversidade | Fauna | Anfíbios

Salamandra-lusitânica
Foto: Eduardo J Castro
< >

NOME CIENTÍFICO Chioglossa lusitanica

CURIOSIDADES

Esta espécie tem pulmões apenas vestigiais (muito pequenos), respirando sobretudo pela pele, pelo que apenas sobrevive em lugares que mantêm a saturação em humidade durante todo o ano.

Distribuição

Esta espécie é endémica da Península Ibérica,tendo uma distribuição restrita às áreas com clima atlântico do Noroeste da Península.

Estatuto de conservação

Portugal: VU - Vulnerável

Espanha: VU - Vulnerável

Mundo:NT - Quase ameaçada

Está protegida pela Convenção de Berna (Anexo II).

CARACTERÍSTICAS

Descrição

Esta é uma salamandra pequena, de corpo alongado, com uma longa cauda de secção circular e cor negra ou castanha com duas linhas douradas ou acobreadas que se unem na base da cauda.

Ciclo de Vida

Reproduz-se de Março a Novembro, acasalando em terra (ou em águas pouco profundas) após um complexo ritual de cortejamento. Cada fêmea deposita cerca de 15 ovos em pequenas cavidades nas margens de ribeiros, debaixo de pedras submersas ou em minas. A Eclosão ocorre após 6 a 9 semanas e as larvas podem demorar até 2 anos para terminar a metamorfose, buscando abrigo em tanques ou charcos associados a linhas de água ou em remansos dos ribeiros. A idade máxima conhecida desta espécie é de 8 anos de vida terrestre mais um ou dois de vida larvar.

Habitat

Embora esta espécie seja mais característica de ribeiros de montanha, com águas bem oxigenadas, é frequente ocorrer em charcos e tanques próximos de ribeiros ou minas de água.

Comportamento

A Salamandra-lusitânica é o mais rápido e ágil urodelo português e é uma das raras espécies de anfíbios (a única em Portugal) que faz autotomia da cauda. quer isto dizer que ao sentir-se ameaçada por um predador, pode libertar a cauda, ficando esta a mover-se para desviar a atenção do predador.